Logotipo Federação Varejista do RS e SPC Brasil

Primeiro trimestre aponta para uma boa chance de recuperação de vendas no comércio gaúcho

Avaliação é da Federação Varejista do Rio Grande do Sul

Segundo o IBGE, a renda real média voltou a superar os patamares pré-pandemia no último trimestre de 2022, refletindo a queda da inflação e o dinamismo no mercado de trabalho. A massa de rendimentos, que soma os rendimentos de toda a população ocupada, também vem se recuperando no estado.

“A recuperação da renda é um vetor que deverá favorecer as vendas do comércio em 2023. Mas o desempenho do setor será determinado por outros fatores, como a evolução da inflação, da taxa de juros e do endividamento das famílias, tanto no âmbito local como no nacional”, avalia o presidente da Federação Varejista do Rio Grande do Sul, Ivonei Pioner.

Os dados de empregabilidade, ainda não são ideais, mas há dados positivos. De acordo com o CAGED, 19,5 mil vagas foram criadas no comércio, com a liderança da indústria, que criou 12,1 mil vagas no estado. O comércio ainda registrou saldo negativo de criação de vagas, fechando 1,1 postos formais.

No início da pandemia, a renda média cresceu, pois ocupações informais com menores salários deixaram de ser exercidas, puxando a média dos rendimentos para cima. No momento, a renda média real está 4,0% acima do observado no pré-pandemia. Outra variável medida pelo IBGE é a massa de rendimento da população, obtida pela soma de todos os rendimentos auferidos pelo
trabalho. Esse indicador está 8,5% acima do nível pré-pandemia devido à queda do desemprego.

Redação e coordenação: Marcelo Matusiak

Assine nossa newsletter.

Receba estas notícias diretamente no seu e-mail.

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Você receberá um e-mail de confirmação.
Ao assinar a newsletter, você receberá um e-mail para confirmar o desejo de receber as notícias do movimento lojista.

Leia também...