Logotipo Federação Varejista do RS e SPC Brasil

Vendas no comércio caxiense crescem 4% em julho e reforçam recuperação do setor

O primeiro mês do segundo semestre deste ano confirma a tendência de retomada para o varejo caxiense.

O primeiro mês do segundo semestre deste ano confirma a tendência de retomada para o varejo caxiense. As vendas do comércio apresentaram crescimento de 4,06% em julho em relação ao mês anterior e de 13,22% na comparação com o mesmo período de 2021. Outro índice que merece destaque é de aumento no acumulado dos últimos 12 meses (1,67%).

As informações do Termômetro de Vendas da CDL Caxias foram divulgadas na tarde desta terça-feira (13), em coletiva de imprensa da entidade e da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC Caxias).

O assessor de economia e estatística da CDL Caxias, Mosár Leandro Ness, defende que o aquecimento da economia local e a deflação registrada nos principais indicadores contribuíram para o bom desempenho em julho. Ele acrescenta que o acumulado de janeiro a julho, chegando ao patamar de 9,82%, possibilita antever um ano de números positivos para o comércio.

“Analisando os desempenhos de médio e longo prazo, o varejo apresenta resultados acumulados positivos e consistentes. O primeiro mês deste trimestre e do semestre abre em alta e isso é de extrema importância, já que é exatamente na segunda metade do ano onde historicamente temos nossos melhores resultados”, prevê.

O gerente Administrativo Financeiro da CDL Caxias, Carlos Alberto Cervieri, cita que, mesmo sem a incidência de datas comemorativas importantes, o mês de julho se mostrou positivo para o comércio. Ele concorda com a análise de que os números do acumulado dos últimos 12 meses demonstram uma continuidade na recuperação das perdas causadas nos anos de 2020 e 2021 provocadas pela pandemia e pela recessão.

“Sempre valorizo este dado do crescimento acumulado porque ele dá um norte do que poderá vir pela frente. Os bons índices na geração de empregos, a movimentação no comércio local, a retomada de grandes feiras e eventos contribuem para um cenário promissor nos próximos meses”, arremata.

Sobre a procura por crédito realizada pelos consumidores em julho, houve um aumento de 11,39%, enquanto que as consultas dos lojistas caíram 6,14%.

O número de inadimplentes se manteve estável (0,67%) na comparação com junho de 2022. Já em relação ao mesmo período do ano passado ocorreu um aumento de 4,16% na quantidade de endividados.

Ramos duro e mole seguem curva ascendente

Em julho ambos os ramos obtiveram índices positivos. No ramo duro, a variação entre julho e junho de 2022 registrou alta de 3,96%. O desempenho positivo foi obtido nos segmentos de Informática e Telefonia, com 19,46%; Materiais Elétricos, com 8,81%; Implementos Agrícolas, com 8,44%; Eletrodomésticos, Móveis e Bazar, com 5,45%; Material de Construção, com 3,38%; e Automóveis, Caminhões e Autopeças novos, com 1,11%. A categoria que teve resultado negativo em julho foi o de Óticas, Joalherias e Relojoarias, com -1,23%.

No ramo mole, a variação entre julho e junho de 2022 foi de 4,50%. O desempenho ficou positivo para os segmentos de Farmácias, com 9,52%; e Vestuário, Calçados e Tecidos, com 8,75%. Já o resultado negativo ficou para Livraria, Papelaria e Brinquedos, com -9,66%; e Produtos Químicos, com -4,53%.

Redação: Assessoria de Comunicação CDL Caxias do Sul

Edição e coordenação: Marcelo Matusiak

Leia também...